Diário de bordo do Hyôiô

Fórum de discussão dos VE e híbridos plug-in da Hyundai
Avatar do Utilizador
zeuz
Mensagens: 784
Registado: 10 mar 2014, 02:40

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por zeuz » 10 set 2021, 09:51

Não dava para fazer directo até Badajoz ? Seriam +/- duas horas de condução, mas ainda dentro do aceitável... :think:
mafgod Escreveu:
10 set 2021, 08:28
Via token do eletromaps?!
O token do eletromaps deve ser só para activar o posto... a facturação é depois por conta do operador do posto de carregamento, que neste caso é gratuita...
Imagem Vectrix VX-1 Li+ '11 (catalã) (06/2014 - )
Imagem Opel Ampera 1.4i ECOTEC (10/2017 - )

Avatar do Utilizador
rnlcarlov
Mensagens: 2093
Registado: 16 jun 2015, 18:08
Data de fabrico: 04 mai 2011
Capacidade bateria: 41.1 Ah
Localização: Lisboa

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por rnlcarlov » 10 set 2021, 13:24

zeuz Escreveu:
10 set 2021, 09:51
Não dava para fazer directo até Badajoz ? Seriam +/- duas horas de condução, mas ainda dentro do aceitável... :think:
São 240km. Tinha de vir a pastar na AE para fazer direto, nesse caso era mais contar acima de 3 horas de caminho.

O eletromaps permite ativar alguns postos, com app ou token. Tanto quanto vi o de Badajoz e o de Cáceres podem ser só com app, mas o token é mais fiável. Há dois anos, em Málaga havia um posto (não-gratuito) gerido pelo eletromaps, e um dia carreguei muito bem com app, mas uns dias depois a ativação por app não estava a funcionar, só com token. Na altura não tinha token e foi um sarilho para carregar. Está algures relatado neste DB.

Na Catalunha os vários postos da rede de municípios podem ser ativados com o token eletromaps apenas. No entanto, a nível de app podem ativados com a EV Charge, que é específica para esses postos catalães. Foi a que tive de usar em Lérida no posto não gratuito, pois nesse o eletromaps não dava, apenas nos gratuitos mais do centro.

A nível de custos, até aqui gastei cerca de 27€ em PCRs.

Avatar do Utilizador
zeuz
Mensagens: 784
Registado: 10 mar 2014, 02:40

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por zeuz » 10 set 2021, 14:55

rnlcarlov Escreveu:
10 set 2021, 13:24
zeuz Escreveu:
10 set 2021, 09:51
Não dava para fazer directo até Badajoz ? Seriam +/- duas horas de condução, mas ainda dentro do aceitável... :think:
São 240km. Tinha de vir a pastar na AE para fazer direto, nesse caso era mais contar acima de 3 horas de caminho.
Pelos print-screens dos carregamentos pareceu-me um total de ~180km, daí a pergunta.


EDITADO

Não tinha simulado a viagem no Google Maps quando respondi, mas agora que simulei... fiquei estupefacto por não sugerir fazer o caminho pela N4 !

Foi necessário adicionar Vendas Novas como primeira paragem, e evitar portagens, para conseguir uma simulação pela N4... sem essas opções, traça o caminho pela A6 ou passando por Coruche... :shock:
Imagem Vectrix VX-1 Li+ '11 (catalã) (06/2014 - )
Imagem Opel Ampera 1.4i ECOTEC (10/2017 - )

Avatar do Utilizador
rnlcarlov
Mensagens: 2093
Registado: 16 jun 2015, 18:08
Data de fabrico: 04 mai 2011
Capacidade bateria: 41.1 Ah
Localização: Lisboa

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por rnlcarlov » 26 set 2021, 18:50

Para completar o relato da viagem, o regresso foi feito em três dias, pois a passageira acho que era um ritmo demasiado cansativo ao fazer em dois dias, sobretudo já que temos evitado ir a restaurantes, sendo o almoço feito antes de sairmos de manhã, e depois fazer o jantar quando se chega à noite.

Assim, no primeiro dia fomos até Carenas, uma terrinha perto do parque de Monasterio de Piedra. Saindo de Lloret com 99%, a primeira paragem foi feita em Saint Fruitós de Bages, cerca de 124km. Dirigi-me ao único carregador funcional, já que uma onda de vandalismo no mês passado deixou três PCRs com os cabos cortados.
Ao iniciar a carga espantei-me ao ver 125A, mas foi sol de pouca dura, pois voltou aos 100A que parece ser habitual nestes carregadores. Saí com 85% rumo a Lérida. Nesta cidade encontrei o primeiro PCR onde fui ocupado por um Tesla. Estava à espera de algo assim, já que na ida tinha visto pela app que os carregadores de Lérida têm uma maior taxa de ocupação. O 2º carregador também estava ocupado, desta vez com um Leaf, logo fui carregar no 3º carregador municipal.

Imagem

Aproveitei para almoçar enquanto o carro carregou até 94%, para o longo troço até Saragoça. Mas em redor do posto não havia nenhum local bom para uma paragem técnica, logo parei 20km à frente em Alcarràs, onde tinha carregado anteriormente, aproveitando a paragem técnica para chegar novamente aos 94%. Assim fui com mais segurança a 120km/h pela AP-2 até Saragoça, carregando no mesmo posto da Repsol da última vez, com o preçário da Iberdrola.

Imagem

De Saragoça a Carenas fazia-se bem com uma carga, mas não sabia se conseguiria carregar no alojamento, já que era numa vila pequena com estacionamento de rua. Por isso parei mais à frente no restaurante El Navarro, onde existem carregadores da Wenea, rede que utilizei pela primeira vez. Havia um PCUR mas não valia a pena usá-lo por tão pouco. Carreguei até 84% e dali segui até ao destino do dia. Por acaso consegui estacionar mesmo em frente ao alojamento e havia uma tomada shucko exterior. Com a minha extensão de 25m pude carregar durante a noite, mesmo com uma chuva torrencial que se abateu sobre o local.

No dia seguinte comecei por passear na zona, visitando a albufeira do rio Piedra e deslocando-me para conhecer as cascatas de Idbes, uma queda de água impressionante para um riacho que parece tão pequeno.

Imagem

Uma vez que tinha carga cheia apontei para ir diretamente até Guadalajara. Devido à distância apontei para uma velocidade de 110km/h quando entrei na autovia, tendo reduzido para 100 por uns 30km quando atravessei uma chuvada intensa que fez subir o consumo. Cheguei a Guadalajara com cerca de 12%, após 175km feitos.
A Iberdrola tem dois PCRs no parque de estacionamento de um hotel, mas que estavam os dois ocupados quando cheguei. Um com um ZOE na CCS e o outro com um C-zero na Chademo. O c-zero ainda tinha começado há pouco e do condutor do ZOE nem sinal. Após alguns minutos o ZOE terminou a carga e felizmente deixou-me desligar a CCS, podendo por o meu à carga. Enquanto isso almocei e com 84% abalei, continuando lá o ZOE sem ninguém.
Ao passar Madrid, desta vez usei a circular M-45 que não tinha conseguido usar à ida e o google maps indicava que não havia grandes problemas no trânsito. Só que enquanto contornei Madrid houve um acidente na A-5 (que vai para Badajoz) que provocou um engarrafamento que se estendeu por vários kms até à M-45. Logo novo banho de espera até finalmente conseguir sair dali. Definitivamente Madrid foi um autêntico pesadelo de passar nesta viagem.
Parei em Mostóles onde carreguei até 86%.

Imagem

A paragem seguinte foi em Oropesa, 133km depois e como a bateria já estava quentinha, aprendi a minha lição e usei o carregador de 50kW, para evitar limitações de velocidade de carga.

Imagem

Carreguei até 84% com intenção de voltar a encher em Navalmoral de la Mata, poucos kms mais à frente. Isto porque iria ficar alojado em Torrejón El Rubio, e desta vez tinha quase a certeza que não havia maneira de conseguir carregar durante a noite. Infelizmente não consegui usar o PCR de Navalmoral, que só funcionava com app da Repsol, e por mais que eu tentasse dava-me sempre erro de método de pagamento quando tentava iniciar a carga. Desisti e resolvi ir a 100km/h durante o resto da autovia e depois mais devagar ao percorrer o parque natural de Monfragüe. Mas escolhi uma má altura para o visitar, pois a Iberdrola e a sua gestão lastimável das barragens nesta altura de preços de energia elevada despejou o Tejo para níveis baixíssimos, e em algumas zonas só se via lodo e cheirava mal. Isto no meio de um parque natural é de bradar aos céus. Nem parei nessas zonas, só mesmo mais à frente onde ainda assim era visível quão abaixo do normal estava.

Imagem

Cheguei ao destino com cerca de 40%, e não consegui carregar como previa.
No dia seguinte saí rumo a Cáceres por estrada nacional para fazer cerca de 60km. Atravessei uma enorme central fotovoltaica que vim a saber mais tarde sem a 3ª maior da Península Ibérica.
Em Cáceres usei o mesmo posto gratuito para carregar até 84%. Segui caminho até Badajoz, onde encontrei um Tesla outra vez, mas este estava mesmo a usar a CCS. Logo tive de dirigir-me ao posto da Iberdrola ali perto.

Imagem

Almocei enquanto carreguei até 94% e segui para Évora, onde carreguei no Continente enquanto fiz logo umas compras do que ia necessitar quando chegasse a casa. A meio das compras vim trocar o carro do PCR para um PCN.

Imagem

Acabei por sair com 94% e cheguei a Lisboa com 24%.

Imagem

Os minutos grátis das compras em Évora foram usados no dia seguinte para dar uma carguinha no Continente Amadora :D

Avatar do Utilizador
BrunoAlves
Proprietário Ioniq EV
Mensagens: 5492
Registado: 30 abr 2016, 12:39
Data de fabrico: 16 jun 2014
Capacidade bateria: 57Ah
Localização: Mealhada

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por BrunoAlves » 26 set 2021, 20:05

Excelente relato, mais uma vez, parabéns :clap:
rnlcarlov Escreveu:
26 set 2021, 18:50
já que uma onda de vandalismo no mês passado deixou três PCRs com os cabos cortados.
:shock: muito preocupante. Ao preço a que o cobre anda sem dúvida que os cabos dos PCR são alvos apetecíveis :?
Se forem conduzir, não bebam. Se forem beber, chamem-me!!! :D

ZEdaCaparica55
Mensagens: 111
Registado: 25 jun 2018, 22:03
Data de fabrico: 01 dez 2016
Capacidade bateria: 57 Ah

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por ZEdaCaparica55 » 28 set 2021, 11:45

Grande viagem, em todos os sentidos.
Não há dúvida que, com planeamento e vários "planos B", se conseguem fazer viagens longas dentro e fora do país.

Avatar do Utilizador
rnlcarlov
Mensagens: 2093
Registado: 16 jun 2015, 18:08
Data de fabrico: 04 mai 2011
Capacidade bateria: 41.1 Ah
Localização: Lisboa

Re: Diário de bordo do Hyôiô

Mensagem por rnlcarlov » 28 set 2021, 13:56

Sim, foi notória a progressão a nível de PCRs em Espanha no último ano. No ano passado era impensável um carro como o meu ir até Madrid. Simplesmente não havia carregadores funcionais entre Cáceres e Madrid, quanto mais um plano B. Este ano quase toda a viagem pode ser feita com planos B: em Badajoz e Cáceres há mais carregadores para além dos gratuitos; em Oropesa existe Wenea para além da Iberdrola; em Madrid há muita coisa; na zona de Ariza existem vários PCRs espaçados muito poucos kms entre eles; na Catalunha existem carregadores pagos para além dos gratuitos em Lérida e Saint Fruitós de Bages....
O sítio mais complicadito é mesmo entre Saragoça e Lérida. São 148km sem nenhum carregador até Alcarràs, nos arredores de Lérida. Até Lérida seriam uns 165km, logo é preciso ter mais moderação no acelerador se o de Alcarràs estiver em baixo.

Responder

Voltar para “Hyundai”